sexta-feira, janeiro 02, 2015

Identidade


It's you and me it's always been,and how I feel  | via Tumblr
Acho tanta falta de identidade daquelas pessoas que pensam por pensadores, que vivem a citar grandes mestres e suas opiniões. E não que eu não ache importante ler e ouvir as opiniões dos grandes pensadores, porém, eu acho muito mais válido ter sua própria opinião. – O mundo hoje realmente é feito de respostas prontas, já dizia Kant em ‘O que é Ilustração’, o quanto o homem é covarde e acomodado, afinal, se eu tiver dinheiro tenho pessoas que podem pensar por mim: um médico poderá cuidar de minha saúde, um autor defender e criar opiniões... Mas e as nossas opiniões? E o que pensamos? Sendo certo ou sendo errado, não importa, são idéias que estão dentro de mim. E deixá-las de lado, para usar as grandes idéias de outros autores, não seria um tanto quanto “falso” de nossa parte?

É covardia, e eu ouso chamar de covardes aqueles que não têm coragem de expressar o que sentem e expor suas opiniões. Isso tudo por culpa de uma sociedade que julga, uma sociedade composta por pessoas onde uns se acham maiores que os outros. – Mas agora, me responda. O que é que você tem? O que é realmente seu? Você tem apenas as suas idéias e sentimentos. Porque seu dinheiro, você pode perder. Sua família, você pode perder. Seu cachorro, você pode perder. Seus amigos, você pode perder. Sua saúde, você pode perder. Seu corpo, você pode perder. Mas o que você tem dentro de você, isso, isso você nunca perderá.

O que está dentro de você são suas duvidas, seus amores, suas lembranças, sua idéia do que é certo ou errado e a sua ambição por algo, seus sonhos. Quem poderá lhe tirar isso? Coisas tão boas, que chega até ser egoísmo não dividi-las.

Mas não é porque guardamos para nós, é porque temos medo. E muitas vezes o medo pode ser justificado. E vou lhe contar um desejo: “eu vou morrer tentando”. Morrer tentando falar tudo aquilo que está sempre matutando dentro desta cabecinha, morrer tentando expor meus sentimentos, morrer tentando fazer com que as pessoas que convivem comigo, me contem suas histórias e seus sentimentos, para que abram o que tem de melhor e o que tem de pior dentro deles. Porque tudo que é bom dentro deles, me diverte e me faz ver coisas boas dentro de mim, e tudo que é ruim, pode ser aproveitável.

E seria bom se as pessoas soubessem expor tudo que é aproveitável, e tudo que faz bem para as outras pessoas. Seria bom se as pessoas tomassem gosto por pensar e expor suas opiniões verdadeiras. Seria melhor ainda que as pessoas soubessem que todas as respostas prontas, nos deixam calados.

“Sem essa de que sábios são aqueles que vivem estudando grandes idéias. Sábios são aqueles que tem identidade...”


Autora: Gabriella Beth Invitti

Nenhum comentário:

Postar um comentário